Pular para o conteúdo principal

Meditar é preciso...



Saber e Entender é preciso...
VERSÍCULO:

“Por que vocês não julgam por si mesmos o que é justo? Quando algum de vocês estiver indo com seu adversário para o magistrado, faça tudo para se reconciliar com ele no caminho; para que ele não o arraste ao juiz, o juiz o entregue ao oficial de justiça, e o oficial de justiça o jogue na prisão. Eu lhe digo que você não sairá de lá enquanto não pagar o último centavo”.Lucas 12.57-59


PENSAMENTO:
Aqui Jesus trata de julgamento em dois sentidos diferentes. Há o julgamento no sentido de discernir o que é prudente e sábio. Há também o julgamento daqueles que estão errados e que, se não mudarem, pagarão o preço do seu erro. Para não sermos julgados temos que julgar bem. A hora de mudar, de "acertar as contas" com Jesus é agora, antes do julgamento final. Da mesma forma que o homem que espera para ser levado perante um juiz humano sofre as conseqüências, o homem que espera até o dia do juízo sofrerá também conseqüências, só que estas serão eternas. Tem algumas coisas que não dá para adiar - o custo é alto demais. Se houver algo em sua vida que não está certo com Deus, resolva logo, enquanto há tempo.


ORAÇÃO:
Ai de nós se não fosse a misericórdia do Senhor! Obrigado, Pai, porque o Senhor nos deu o tempo para pedir o perdão dos nossos pecados e de viver vidas transformadas pelo arrependimento. Ajude-nos a sentir a devida urgência para mudar tudo que precisamos mudar. Ajude-nos também a conhecer a paz dos perdoados e a tranqüilidade de saber que, quando ficarmos diante do trono de julgamento, nosso defensor Jesus estará ao nosso lado. Por amor ao nosso Salvador oramos. Amém.
Fonte: http://www.hermeneutica.com/jd/2/1208.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Discipulado (Parte I) - Paulo Junior || Escola Obreiro Aprovado (Aula 10)

O Pr Paulo Junior é usado por Deus nesse vídeo com uma linguagem simples e com muita humildade nos ensina a Palavra de Deus. Recomendamos com muito carinho.
Discípulo é um aprendiz de Cristo.




Oswald Jeffray Smith (1890-1986)

"Resolvi publicar essa biografia para conhecermos um pouco de nossa história recente, esse homem foi um dos maiores missionários americanos, viajou por mais de 80 países pregando a palavra de Deus, leia e aprenda com esse grande homem de Deus."
O canadense Oswald Jeffray Smith (1890-1986), filhos de Benjamin (um telegrafo da estrada de ferro) e a Alice Smith, em Odessa, Ontário, em 1889, o mais velho de dez crianças. A conversão de Smith ocorreu ao assistir a uma cruzada evangelística de R.A. Torrey e Charles Alexander, quando tinha dezesseis anos. Smith não teve uma infância saudável e não esperada sobreviver a sua adolescência. Esta saúde pobre afetou diretamente seus planos de missões trans-culturais da igreja Presbiteriana, que foram rejeitadas inicialmente. Preparou-se para o ministério e foi ordenado pastor presbiteriano. Seu desejo era dedicar-se à obra missionária, mas foi advertido de que era muito fraco fisicamente para enfrentar a dura vida missionária. Como o Pr. …

Cristofobia? Existe? Você sabe o que é?

Pouco denunciada, a opressão violenta das minorias cristãs nos países muçulmanos é um problema cada vez mais grave AYAAN HIRSI ALI
Ayaan Hirsi Ali, de 42 anos, nasceu de uma família muçulmana na Somália e emigrou para a Holanda, onde foi parlamentar. Produziu o filme Submissão (2004), sobre a repressão às mulheres no mundo islâmico. É pesquisadora do American Enterprise Institute SANGUE DERRAMADO Cristãos coptas, do Egito, carregam uma imagem de Jesus Cristo manchada de sangue, em ato contra a violência de extremistas islâmicos (Foto: Asmaa Waguih/Reuters)
Ouvimos falar com frequência de muçulmanos como vítimas de abuso no Ocidente e dos manifestantes da Primavera Árabe que lutam contra a tirania. Outra guerra completamente diferente está em curso – uma batalha ignorada, que tem custado milhares de vidas. Cristãos estão sendo mortos no mundo islâmico por causa de sua religião. É um genocídio crescente que deveria provocar um alarme em todo o mundo. O retrato dos muçulmanos como vítimas ou h…